Política » Delação atinge Renan e Sarney Gravações que derrubaram Jucá do ministério envolvem outros caciques do PMDB

As conversas foram gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, acusado de receber propina, que teve sua delação premiada homologada pelo ministro do Supremo Teori Zavascki. O primeiro diálogo a vazar obrigou Romero Jucá (PMDB-RR) a deixar o Ministério do Planejamento apenas 11 dias depois de assumir, por ter sugerido que a troca de governo deteria as investigações da Operação Lava-Jato. Outros trechos, divulgados ontem, revelam falas do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do ex-presidente José Sarney (PMDB-AP). Renan defende alterações na lei que regulamenta as delações, para que presos não possam colaborar com as apurações, principal meio usado pela Lava-Jato para levantar informações. Já Sarney oferece ajuda para evitar que processo contra Machado fosse para a vara sob condução do juiz federal Sérgio Moro.



ação contra cunha » Processo quer fim de regalia de deputado suspenso PSOL pede ao STF que Câmara pare de gastar R$ 540 mil por mês com o presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Só com 23 secretários o custo é de R$ 90 mil.



PGR avaliza grampo » Janot considera que escuta de Dilma e lula foi legal Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, envia parecer ao Supremo em que defende a legalidade da gravação de conversas entre a presidente Dilma e seu antecessor.



Senado avalia abreviar o desfecho do impeachment


Aguarde, procurando programas...
D S T Q Q S S