Câmara tira Coaf de Moro Em nova derrota do governo, deputados transferem órgão de controle para o Ministério da Economia

Com 228 votos a favor, 210 contra e quatro abstenções, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou a transferência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, cujo titular é Sérgio Moro, para o Ministério da Economia, de Paulo Guedes. Foi uma derrota do governo e, especialmente, de Moro, que considerava fundamental para o combate à corrupção manter o Coaf na pasta que comanda. A questão do Coaf foi analisada durante a apreciação da MP 870, que reorganiza a administração do governo Bolsonaro. O texto-base foi aprovado por votação simbólica, mantendo a reducão de 29 para 22 ministérios. Também de forma simbólica, foi rejeitado requerimento para manter o Coaf sob a guarda de Moro. O PSL pediu então para que fosse feita votação nominal, que sacramentou a derrota. A matéria, porém, ainda precisa passar pelo crivo do Senado.



Esforço para aprovar a nova previdência Esforço para aprovar a nova previdência Em seminário promovido pelo EM, políticos e especialistas ressaltam a urgência de fazer a reforma

Mesmo com divergências em torno do tema, a necessidade de mudança nas regras de aposentadoria para destravar o crescimento e evitar a falência do Estado foi consenso entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e demais palestrantes no seminário Previdência, por que a reforma é crucial para o futuro do país?, em Brasília. O evento foi promovido pelo Estado de Minas e Correio Braziliense, em parceria com as confederações da Indústria (CNI) e da Agricultura (CNA) e com o Sebrae. Um dia depois de anunciar ter rompido o diálogo com o líder do governo da Câmara - Major Vitor Hugo (PSL-GO) -, Maia garantiu estar comprometido com a reforma e recomendou ao governo "menos distração e mais proatividade" para ajudar na tramitação. Já Paulo Guedes pediu que os congressistas assumam o protagonismo na aprovação da PEC e rejeitem as pressões em contrário. "É evidente que o lobby contra está aqui em Brasília. Não é o Brasil que está contra a reforma da Previdência, é Brasília", disse o ministro. Guedes voltou a ressaltar que o sistema previdenciário atual está falido e se tornou "arma de destruição em massa de empregos". O secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, destacou que, devido ao peso da Previdência, está havendo "drástica redução da capacidade de investimento" do país. A economista Selene Peres Nunes, uma das autoras da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), lembrou que, desde 2014, as contas do governo federal estão no vermelho, em pleno "abismo fiscal". E afirmou que sem a reforma "o Brasil não tem futuro".

"A Previdência é apenas o primeiro passo. Depois da reforma, vamos abrir as portas do crescimento", Paulo Guedes, ministro da Economia

"Precisamos dar condições para que o setor privado possa construir investimentos em 10 ou 15 anos", Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (fotos: Marcelo Ferreira/CB/DA.Press)



GOVERNO RECOMPÕE VERBA DA EDUCAÇÃO Após o corte e os protestos, serão destinados R$ 1,58 bilhão da reserva de contingência ao MEC e R$ 56,6 milhões para o Ministério do Meio Ambiente.



OLHA O TREM! OLHA O TREM! Foram necessários dois guindastes e interdições de trânsito de madrugada para instalar dois vagões de madeira do início do século passado na Casa do Conde, na Praça da Estação, onde funciona o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Os vagões estavam no Bairro Horto, na sede da MRS, operadora de malha de trens de carga. Mesmo em bom estado de conservação, eles serão restaurados, ganharão cobertura de proteção e jardins ao redor, compondo conjunto com uma locomotiva do século 18, que já estava no local. (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

Afastamento teria motivado ataque a igreja Investigação preliminar da Polícia Civil revela que autor do massacre de quatro pessoas em Paracatu, três delas mortas a tiros dentro de um templo evangélico, estava insatisfeito com o pastor por ter sido afastado de atividades na igreja. Assassino prestou depoimento ontem.


Aguarde, procurando programas...
D S T Q Q S S