Política » Reforma só depois do carnaval Reforma só depois do carnaval Diante da dificuldade de conseguir votos e da proximidade do recesso parlamentar, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou a votação da mudança nas regras de aposentadoria para 19 de fevereiro, na semana seguinte à das festas carnavalescas. Maia reconheceu que o ideal seria votar agora, mas acredita que com mais tempo será possível esclarecer a sociedade sobre a necessidade da reforma e obter os 308 votos necessários para aprová-la, mesmo 2018 sendo ano eleitoral. Garantiu que não há frustração. "Frustrante é perder", enfatizou. O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, que visitou Michel Temer no hospital - ele se recupera de uma intervenção no sistema urinário -, disse que o presidente está bem e animado para aprovar a reforma em fevereiro. Até lá, a proposta do governo poderá sofrer mais mudanças, mas, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, "sem impactos substanciais". Meirelles admitiu que haverá um custo com a postergação, mas disse continuar otimista com a aprovação da reforma. O ministro espera convencer as agências de classificação de risco a não rebaixar a nota de crédito do Brasil. Ontem, após o anúncio do adiamento, a bolsa chegou a cair 1,30% e acabou fechando em baixa de 0,67%. O dólar à vista subiu 0,40% e fechou cotado a R$ 3,33.



negócios » Inquietação no mercado brasileiro de fast food Grandes redes fazem planos agressivos de expansão e de reformulação de seus negócios com objetivo de fechar qualquer espaço para concorrentes.


Aguarde, procurando programas...
D S T Q Q S S